Seguidores

quarta-feira, 27 de abril de 2011

Passaram por onde moro.

Nem lá, nem cá. É o que diria, ao menos hoje, para me descrever no fim desta quarta-feira. Aos poucos fui dando guarida a um pensamento com o qual optei por escamotear, deixei guardado numa das gavetas menos encontradiças de mim e lá esqueci. Hoje, no entanto, não dá. É apenas como me sinto: nem lá, nem cá. Toda e qualquer perspectiva – diga-se de passagem, que, perspectivas são volúveis por demais, lembrem-me sempre de não me apoiar nelas, são projeções –, foi levada, execrada, destruída, consumida com um tempo que já não pertence ao leito do rio no qual navego, foi-se a luz, instalou-se o caos e a agonia, da gélida escuridão o dia se refez glorioso. Por derradeiro, entretanto, jamais permanentemente é aqui e assim que estou: em lugar nenhum e de forma alguma, transitando entre uma órbita e outra de sentimentalismos.
As necessidades que até então permeavam meus auspícios perderam a cor, pessoas foram perdendo paulatinamente o brio que tanto era do meu agrado conveniente. Tudo o que ficou distante, por lá permaneceu e aqui não estive mais, pois quem saberia onde me encontrar se na melhor das hipóteses em lugar algum me alcanço? Eis a minha mágoa, uma interrogação envolta do diâmetro mais puro de mim, são estas as minhas palavras mais nuas e cruas, qualquer um pode digerir. Meu norte não tem fim, disto eu já sei. Todavia, assim como percebo em outros corpos, em outros gozos, outros abraços, outros laços fortes, quentes e gentis, é o que pleiteio sem querer, sabendo e, deveras contrariado. É por isso que canto, mais tarde escrevo, depois reclamo. Mais e mais. Eu vivo aqui, amo neste lugar: dentro de mim

Por Marcos Araújo

9 comentários:

  1. Assim vc encontra inspiração...
    Muito bom o texto

    ResponderExcluir
  2. Ótimo texto e ótima escrita. Adorei. :)

    ResponderExcluir
  3. ótima reflexao. Imagem indagadora!

    ResponderExcluir
  4. http://cantinhocomtudo.blogspot.com/2011/04/garota-feliz-lia-cronica-ficcao.html
    Gostei do Texto
    achei ótimo tudo o que vc escreveu
    ^^

    ResponderExcluir
  5. Muito bom seu blog

    estou seguindo

    comenta e segue o meu:






    http://wwwgamesedownloads.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Tão contraditório, quanto controverso e confuso. Digo como se não soubesse dos dias onde não vou nem fico. rs Ponto e destaque ao final, teve pé, mas sem cabeça.

    ResponderExcluir
  7. Me vi em cada uma de suas palavras, acredite (ou não), sei exatamente como é ver o mundo através da janela de meu interior. Sei exatamente como é se interiozar completamente. Eu acredito que é um dos melhores estados de alma, que é quando nos conhecemos melhor, e buscamos nos compreender melhor, todavia, ao mesmo tempo nos afastamos do mundo exterior, dos sentimentos comuns exteriores, passamos a enxergar tudo com outros olhos.
    "Eu me sinto um estrangeiro, passageiro de alguem trem, que não passa por aqui e que não passa de ilusão..."

    ResponderExcluir
  8. algum*
    Ai, ficou incompleto ali em cima, esqueci de colocar o porém, que é: quando nos mudamos definitivamente para o nosso interior, nos vemos muito mais sós, o que muita vezes é bom, mas outras é triste e dói. É uma condição de se interiorizar: ficar só.

    ResponderExcluir
  9. Pobre daquele que não se conhece. Um ser indefinido, sem qualquer notoriedade. Todos nós temos de ter um certo conhecimento sobre nossas necessidades emocionais.

    ResponderExcluir

Se não leu, não comenta bobagem certo?
Obrigado o/