Seguidores

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Outrossim

Carecer da saída é o clichê dos tempos – secular é o que diria -, e para ser mais prático, até para não dar voltas e me assustar reiteradamente com a mesma (in)verdade, é assim que tem sido. Portas fechadas, janelas foscas, papéis em branco, lágrima no chão, olhos, bocas, mãos, tudo perdido e disperso em mim. Sair correndo, alçar vôo, tal como um gavião célere a planar sob o Rei Sol, é o que quero. Liberdade amigos, com todas as letrinhas miúdas e pormenorizações gramaticais, com o gostinho bom de todas as coisinhas que alegram o coração no diminutivo. Todas as coisas, todos os sons amáveis e portáteis para que embale no meu peito a mais plena canção de uns versos pintados à mão. Versos desenhados. Devolvam-me a paz e meus lápis de cor para que eu possa rabiscar em imundos retratos as matizes cinzentas que me causam dor

Por Marcos Araújo

21 comentários:

  1. Gostei da sua visão de liberdade. Parabéns pelo post

    ResponderExcluir
  2. Olá! No momento estou apenas te seguindo, mas prometo voltar e comentar em breve suas postagens!Agradeceria se seguisse o meu blog, assim criamos um vínculo que facilite a divulgação de ambos os blogs! passa lá?
    http://medicinepractises.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. ei querido, rabisca a tua dor pra depois q passar vc sorrir em ver o quão era triste, mas se foi.
    Abraços, sempre lindo aki =)

    ResponderExcluir
  4. A rima no final, certamente deu um toque a mais.
    Seu vocabulário é invejável.

    ResponderExcluir
  5. "Devolvam-me a paz e meus lápis de cor para que eu possa rabiscar em imundos retratos as matizes cinzentas que me causam dor..."


    Me apaixonei por esta parte, você tem o dom das palavras ;)

    estou te seguindo

    ResponderExcluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  7. haha, adorei o post. O jeito como vc falou da liberdade, no caso para si. E tem uma forma de expressar belíssima, só os sábios e inteligentes podem compreender POASKSAO :O

    ResponderExcluir
  8. Sentir a paz de ser livre, de partir. Atravessar portas, barreiras, obstáculos apenas para chegar no esquecido jardim dos fundos e sentar um pouco, pensar um pouco, sentir um pouco - o que não se faz há muito tempo. Voar ou se sentir voando, desenhar a si mesmo em tal ato, sem raízes, conformes ou preceitos. Simplesmente no ar, sentindo-se flutuar. Portas abertas e sorrisos no rosto - inteiramente livre, de alma liberta e feliz.

    ResponderExcluir
  9. Se permitido fosse eu estender a sua fala, citaria Clarice com "Em que espelho ficou perdida a minha face?" Gostei.

    ResponderExcluir
  10. ola estou seguindo segue-me também xD

    http://ptc-granananet.blogspot.com/

    parabens pelo blog ;D

    ResponderExcluir
  11. hmm um tanto melancolico mas de arcabouço poetico..

    ResponderExcluir
  12. Oi, adorei seu blog e seu jeito de escrever, já estou seguindo. Segue o meu tbm ??

    hyagofantinel.blogspot.com

    ResponderExcluir
  13. PARABÉNS pelo seu cantinho!
    seguindo :*

    http://espacodifarias.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  14. nossa, belas plavraas q vc usou, parabens!

    ResponderExcluir
  15. Adorei seu post e muito me admira encontrar um blog como o seu, depois de tantos outros que deixam a desejar! Desejo-te sucesso e peço perdão pela demora.. Mas quando dei por conta, nem tinha verificado aquelas letrinhas chatas rs

    ResponderExcluir
  16. A rima e o modo que você escreve é muito perfeito *--*

    ResponderExcluir
  17. Que lindo o seu texto!! Vim te agradecer a visita.

    Grande beijo

    ResponderExcluir
  18. Muito lindo seu texto!
    http://lollyoliver.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  19. O que fazer quando todas as saídas estão fechadas e as lágrimas secaram?

    Belo post...

    ResponderExcluir

Se não leu, não comenta bobagem certo?
Obrigado o/